R$45,00

R$40,50

2x de R$20,25 sem juros
Ver meios de pagamento
Descrição

Abre-caminho do filósofo, professor e compositor Haddock-Lobo é um encontro, um sonho, uma travessia e uma encruzilhada em diversos sentidos. Talvez seja uma teia de sonhos de alguém que percebe e fia a vida em pergaminhos, que admira e se alia às miudezas para se fazer grande.

O livro de Haddock-Lobo tem um nome ‘desimportante’. Abre caminho é nome de planta popularmente conhecida também como ‘quebra demanda’, ‘erva de Ogum’, ‘comigo ninguém pode’ (e outros) a depender da região e cultura locais. Folhas em tom verde viçoso, longas e delicadas, que adoram sol e solos úmidos e guardam os saberes do bem-estar trazendo proteção aos que dela se beneficiam. Quando maceradas, exalam perfume e, em contato com a pele do pensamento, imantam o corpo de positividade e proteção espiritual.
Abre-Caminho reivindica a lâmina da faca, o metal afiado da navalha para romper, ferir a carne das ideias, cortar e desafiar mato para uma nova travessia. Caminhos impulsionados por pés que não pisam NO chão, mas tocam O chão, ganhando estrutura e comprimento para serem lançados ao alto, onde baila o pensamento que flutua buscando desequilibrar-se.

Fabiana Cozza

 


Vamos saravar a insana abertura de caminho de Rafael.
Tem que a ver loucura. Uma possível de se ver e seguir, coisa de caboclo pisador de nunca, mistérios de segredos de ninguém, os fantasmas na sombra alheia espreitando pelo mato alto com sentinelas ocos como o frio do passado. Quem quer passar por sangue pisado, cheirando a dor e fúria? Quem vai transformar o lanho da carne morta em osso presente e guardião? Tem você coragem de atravessar mil passados de lama até o pescoço para plantar um único louco e rasteiro feijão fradinho? Rafael tem. E o fradinho rasteja, rasteja então viceja alto, alto, vivo, flor, até o rés do castelo de Alafim.
Ninguém, em sã consciência, se embrenha num mato desse da academia acidental munido de palavra e corpo nu. Ninguém, em sã consciência, se arvora em mata fechada para abrir senda.
Amor pelo pisar, que deixa a Academia doida. Quem rasga sistema e pisa e anda como caboclo, alcança muito bem abrir senda. Compreende, como Rafael vive, que a picada é contínua, é todo santo dia, ama o caminhar. Se um passa, o outro vem junto e não importa quem pisou primeiro. Importa o caminho.

Mariana Blanc

 

Editora: Ape'Ku Editora
ISBN: 978-65-80154-44-9
Ano de edição: 2022
Distribuidora: Ape'Ku Editora
Número de páginas: 156
Formato do livro: 14 x 21 cm
Número da edição: 1